Rogacionistas

A Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus foi iniciada por Santo Aníbal Maria Di Francia em 1897, na cidade de Messina, no sul da Itália. É formada por religiosos – padres e irmãos – consagrados a Deus através dos Conselhos Evangélicos de Pobreza, Castidade e Obediência. Além destes conselhos, professam um

quarto voto, o Zelo pelo Rogate. Os religiosos vivem em comunidade onde partilham a vida deoração, de estudo e de trabalho.

Os Rogacionistas tem por carisma o Rogate, palavra latina que significa rogar, pedir, rezar. Foi pronunciado por Jesus quando disse: “Rogai ao Senhor da messe que envie operários para sua messe” (Mt 9,38; Lc 10,2). Hoje esse carisma é vivido no esforço constante de rezar pelas vocações, propagar esse espírito de oração e ser bons operários na sociedade. Os religiosos atuam em vários setores sociais e eclesiais, como as áreas vocacional, juventude, socioeducativo, paróquia, formação e missão.

Santo Aníbal Maria

Nasceu em Messina, Itália, aos 05 de julho de 1851. Terceiro de quatro filhos, Aníbal Maria perdeu o pai aos 15 meses. Com 17 anos, diante de Jesus Sacramentado,  recebeu uma graça especial que se pode definir como a Inteligência do Rogate. Ele intuiu que deveria rezar pelas vocações e trabalhar para que, na Igreja e no mundo, houvesse muitos e bons operários e operárias.

Completados os estudos, aos 16 de março de 1878 foi ordenado sacerdote. Alguns  meses antes encontrou-se “providencialmente” com um mendigo que dizia ser cego, chamado Francisco Zancone, que lhe proporcionou a oportunidade de entrar em contato com a  triste realidade social e moral da periferia de Messina. O mendigo morava em Avinhone, uma espécie de favela onde as condições de vida eram muito precárias. Prometendo visita-lo, Aníbal Maria foi e viu a triste realidade. Não demorou muito para decidir morar junto dos pobres de Avinhone e lá iniciar sua missão de rezar pelas vocações e dedicar-se aos mais pobres, especialmente as crianças órfãs.

No dia 1° de junho de 1927, confortado pela presença de Maria Santíssima, a quem tanto  amou durante sua existência terrena, morreu santamente, enquanto o povo repetia: “Fechou-se a boca de quem jamais disse não! Vamos ver o santo que dorme”. Aníbal Maria foi canonizado, ou seja, proclamado santo, no dia 16 de maio de 2004 pelo papa João Paulo II.

Início da Missão

Para realizar, na Igreja e no mundo, os seus ideais apostólicos, Santo Aníbal iniciou duas famílias religiosas: em 1887, a Congregação das Filhas do Divino Zelo e, dez anos depois,  a Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus. Quis que os membros de ambos os Institutos, aprovados canonicamente no dia 06 de agosto de 1926, vivessem o compromisso do Rogate.

Instituiu, também, duas associações: a “Sagrada Aliança”, com o objetivo de conscientizar os padres para rezar pelas vocações e a “Pia União da Rogação Evangélica”, para que todos os  fiéis também rezassem pelo mesmo ideal. Hoje essas duas instituições, na América Latina, formam uma única associação: a União de Orações pelas Vocações.

O Apóstolo do Rogate

Santo Aníbal é considerado o apóstolo do Rogate e/ou “apóstolo da oração pelas vocações”.  É importante conhecer a teologia que está por detrás da oração pelas vocações. O ponto de partida é a recomendação do próprio Jesus, quando constatou que as necessidades no mundo eram tantas em proporção ao número reduzido de colaboradores, e disse: “A messe é grande, mas poucos são os operários”. É missão do Rogacionista viver e atualizar o Rogate que engloba o “rezar pelas vocações”, mas, também, o trabalho junto aos mais pobres e excluídos, além do testemunho de vida e do zelo por este mandamento de Jesus. O testemunho de vida de Santo Aníbal contribuiu para que a Igreja instituísse, em 1964, oDia Mundial de Oração pelas Vocações.

Conheça mais os Religiosos Rogacionistas em www.rogacionistas.org.br